fbpx
advogado 4.0

mar 01

 

A constante inovação da tecnologia aponta para uma nova revolução denominada pelos estudiosos, especialmente da sociologia, de revolução 4.0.

 

Essa Revolução consiste no fenômeno de que todas as atividades ocorreriam de forma mais rápida e automatizada. Independente do tamanho dessa revolução ou se já a vivenciamos atualmente, importante ter em mente que a geração do Milênio (nascidos entre 1981 e 1997) cresceu em meio a um sentimento comum de imediatismo gerado pela alta velocidade das informações.

 

Essa geração já não se comunica mais com alguns métodos tradicionais da advocacia, sendo impossível que a atividade jurídica, em poucos anos, não se torne um reflexo da realidade veloz e acessível que a tecnologia proporcionará em grau ainda mais elevado no futuro.

 

Imagine que, estar alinhado com os conceitos da Advocacia 4.0 implica, em um curto espaço de tempo, estar a frente do mercado ou fora dele. Portanto, ser resistente às inovações pode custar caro a carreira do advogado que recusa inserir-se ao processo de adaptação.

 

Neste sentido, e com o intuito de apresentar novos horizontes para os advogados, separamos 5 elementos que dialogam diretamente com o que a revolução 4.0 se propõe a fazer e que são de conhecimento indispensável para todo advogado que deseja fazer parte das inovações futuras na advocacia.

 

Blockchain

É uma tecnologia formada por uma cadeia de blocos de códigos criptografados que garantem a segurança de transações (negociais e comerciais) sem precisar de intermediários. Tudo isso a partir do tráfego de informações que a rede mundial de computadores permite.

A própria cadeia de códigos se encarrega, inclusive, de “executar” cláusulas (como multa) ou outros comandos que os negociantes tenham previamente registrado. Cada bloco carrega um conteúdo e uma identificação (digital), que registra uma ação, sendo impossível alterar os registros.

Escritórios de advocacia já têm usado a tecnologia blockchain, por exemplo, na assinatura digital de contratos (smart contracts), pois esse sistema possibilita uma segurança maior do que uma assinatura tradicional e pode ser efetuado à distância e em instantes.

 

Big Data

É um conjunto de dados grandes demais e/ou complexos demais para que um software tradicional de processamento seja capaz de armazenar ou gerenciar adequadamente. Podem, especialmente, ser fontes geradoras de novos dados.

Esses enormes volumes de dados podem ser usados para resolver problemas de negócios que você não conseguiria resolver antes. Solucionando questões e cruzando informações valiosas em instantes.

Para se ter uma ideia, já existem softwares que usam o big data, para metrificar a possibilidade de aprovação de projetos de lei de cada deputado e senador do Brasil, a partir da análise sistemática de todas as decisões já tomadas por esses parlamentares em outros projetos e os seus posicionamentos expressos nas redes sociais.

 

Machine Learning

É um campo da inteligência artificial que visa explorar estudos para construção de algoritmos que possibilitam à máquina compreender teses, conteúdos e informações de modo que a própria máquina possa administrá-las de forma autônoma, sem interferência humana ou com interferência mínima.

Através do reconhecimento de padrões pré configurados pelo humano na máquina, ela se torna capaz de configurar um processo de aprendizagem do algoritmo proposto, sendo eficiente, por exemplo, em construir uma tese jurídica a partir dos comandos pré definidos pelo programador.

 

Cloud

O conceito de computação em nuvem (cloud computing) refere-se à utilização de memória e de capacidade de armazenamento online de conteúdo, suportados por servidores externos, sem o comprometimento da memória rígida (da própria máquina do usuário).

As vantagens do serviço de nuvem para os escritórios é infinita. Com esse serviço é possível ter acesso a todos os arquivos a partir de qualquer lugar, por meio de qualquer dispositivo eletrônico.

Essa tecnologia minimiza a possibilidade de perda de arquivos e aumenta a acessibilidade a eles. Dessa forma é possível que você tenha acesso a todos os arquivos do seu escritório a onde estiver.

 

Design Thinking

É o conjunto de métodos e processos para abordar problemas e encontrar soluções criativas, relacionando conteúdos e informações ainda não adquiridos, mas disponíveis, com a análise do conhecimento já disponível.

Abordagem inovadora e multidisciplinar que pelo uso da empatia e análise do ponto de vista do consumidor, considerado dentro do processo criativo, pode encontrar soluções antes não alcançadas.

O Design Thinking pode auxiliar diretamente na relação advogado e cliente, visando a definição de abordagens para o desenvolvimento desse relacionamento, com a finalidade de que seu processo natural traga soluções não consideradas até então.

 

Conclusão

Não sabemos ainda, exatamente, em qual momento o seu escritório de Advocacia se encontra. De qualquer forma, investir tempo e dinheiro em soluções Techs já é uma resposta inquestionável para o futuro da Advocacia.

Não há como ser competitivo ou permanecer no mercado sem o mínimo de atualização e inovação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *